Construtora Catarinense - Blog - O mercado imobiliário e suas condições favoráveis históricas

O mercado imobiliário e suas condições favoráveis históricas

07/11/2019
Com a queda histórica da taxa SELIC para 5%, o rendimento da poupança também diminuiu, mantendo o investimento imobiliário como uma das melhores alternativa de geração de lucro financeiro. A valorização dos imóveis na planta , que tem aumentado a cada ano chegou na casa de 15% anuais e com previsões ainda mais positivas. 

O ambiente de juros baixos parece que veio para ficar no Brasil e o investidor, que já estava com dificuldade para ganhar dinheiro na renda fixa, agora vai ver suas aplicações conservadoras rendendo ainda menos. Isso porque o Banco Central decidiu hoje cortar a taxa Selic pela terceira vez neste ano e, novamente, em meio ponto percentual, de 5,5% para 5,0% ao ano – o menor nível histórico e em linha com o esperado pelo mercado financeiro. Mais importante do que esta decisão, tudo indica que há espaço para uma taxa básica de juros ainda menor, com previsões de Selic a 4,0% ao fim do ciclo.

Com o movimento de flexibilização monetária em curso, os retornos das aplicações indexadas ao CDI estão naturalmente cada vez menores, assim como a rentabilidade da caderneta de poupança, que tem diminuído, dado que ela está atrelada à Selic. Com a taxa básica de juros igual ou abaixo de 8,5%, a remuneração da poupança equivale a 70% da Selic anualizada acrescida da Taxa Referencial (TR),que esteve zerada nos últimos dois anos.

Em 12 meses até setembro, a caderneta rendeu 6,17%. Agora, com a Selic em 5,0% ao ano, o retorno da poupança passaria a ser de 3,5% ao ano e continuaria perdendo para aplicações como o título público Tesouro Selic. Mais importante do que a redução de rentabilidade, o investidor precisa se atentar à variação da inflação, que pode corroer seus rendimentos. Para 2020, é esperado uma inflação de 3,60%, o que, no cenário atual, levaria à perda de dinheiro na caderneta.

Fonte: Info Money

Construtora Catarinense. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por BRSIS